O que verificar na manutenção preventiva do carro

Se o seu carro já não tem mais aquele desempenho de zero quilômetro, mas você está inseguro para trocar por um mais novo na atual situação econômica, não se preocupe. Você não é o único. Contudo, uma manutenção preventiva pode ajudar a manter o veículo com bom desempenho até que chegue o momento de vendê-lo.

Em 2015, o brasileiro realmente colocou o pé no freio na hora de trocar de carro. Conforme dados da Anfavea, a associação de fabricantes do setor, a produção de veículos caiu 18,5% no primeiro semestre, em comparação a igual período do ano passado. As vendas acompanham o ritmo de queda – foram 20,7% a menos de janeiro a junho.

Revisão dos principais componentes ajuda a ampliar a segurança no veiculo. Fotos: Shutterstock

Manutenção preventiva: seu bolso agradece

A manutenção preventiva significa o ato sistemático de controlar e monitorar uma máquina. O objetivo é reduzir – ou até mesmo impedir – falhas no desempenho do equipamento, para que opere sempre em condições semelhantes às que tinha quando saiu da fábrica.

Num momento de incerteza econômica, em que muitos impostos estão subindo, elevando os preços também, a manutenção preventiva do veículo se torna uma alternativa mais barata, pois há muitas opções de valores. Além disso, seu carro vai rodar com maior segurança.

Para poupar, é preciso pesquisar. Uma revisão básica, que compreende troca de óleo e filtro e avaliação de alguns itens, como motor e ar condicionado, pode custar até 25% mais se realizada em uma concessionária e não em uma mecânica tradicional. Mas é preciso encontrar um estabelecimento de confiança.

O que a manutenção preventiva verifica

Conheça os itens que devem ser revisados ou substituídos na manutenção preventiva:

Óleo

O lubrificante deve ser trocado no prazo estipulado pela montadora, o que evita sérios danos ao motor. Geralmente, a troca é realizada a cada seis meses ou a cada 10 mil quilômetros rodados, a depender do produto utilizado.

Filtro de ar

O fluxo de ar auxilia o bom desempenho do motor. Por isso, a sua troca é fundamental. Via de regra, deve ser realizada uma vez por ano. Se o carro roda muito, a frequência de substituição deve ser maior.

Filtro de combustível

Deve ser trocado a cada 10 mil ou 15 mil quilômetros, pois evita que passe sujeira do tanque para o motor.

Freios

A cada 10 mil quilômetros, é importante revisar os discos de freio, pastilhas, tambores e outras peças que compõem o sistema.

Velas

Elas garantem o bom funcionamento do motor e devem ser trocadas mesmo sem apresentar defeito. O prazo, porém, pode variar de 15 mil a 100 mil quilômetros rodados, conforme a marca.

Arrefecimento

É necessária uma limpeza no sistema a cada 30 mil quilômetros, incluindo o radiador e o reservatório de expansão.

Alinhamento e balanceamento

Esse procedimento deve ser realizado a cada 10 mil quilômetros, para evitar desgaste excessivo dos pneus.

Deixe um comentário